sexta-feira, 23 de setembro de 2011

5 mil milhões e um coice!

A estratégia da desculpabilização, da obra feita e da analogia com as empresas públicas do Estado e o respectivo défice, é um apelo à inteligência fraca e uma falácia lógica monumental. Alberto João Jardim, a partir do momento em que não assume vontade de mudar o rumo, deverá ser irradiado da política. Trata-se de uma clara insubordinação em relação à estratégia económica nacional. Os 267 mil habitantes da Madeira não podem ser privilegiados relativamente aos 181 mil habitantes do município de Braga, bem como relativamente a todos os outros conjuntos populacionais que revelem um certo teor de autonomia política e institucional...
Acabe-se já com a zona franca da Madeira e haja verdadeira coragem para colocar este 'senhor' no seu devido lugar. Querem a independência? Então tenham-na, mas paguem vocês a dívida monumental que fizeram à custa de irresponsabilidade, populismo, controlo dos meios de comunicação e preconceito relativamente ao Governo Central... 
Surpreendente escutar Jardim a dizer que o Estado não executou nenhuma obra na Madeira... De onde virão os fundos para as 'suas' obras? Não existem Governos Regionais precisamente para executarem com autonomia as obras públicas necessárias e prioritárias à região? 
E as verbas dispendidas para os clubes de futebol? São 5 milhões de Euros por ano para as duas equipas da Liga e mais algum para a da Liga Orangina... Ainda se fala do subsídio que a Câmara de Braga dá à maior instituição da cidade - cerca de 75 mil Euros - por formar centenas de jovens do município...
E Cavaco? Na sua visita aos Açores entrou na linha de defesa do 'seu' estado laranja... Lamentável! Afinal também os Açores estão em dificuldade...não é só a Madeira. Como se pudesse haver analogia possível entre as duas gestões autonómicas.

Sem comentários:

Enviar um comentário