terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Os 5 erros colossais do processo da Loja do Cidadão

Apontamos 5 erros colossais ao processo de deslocalização da Loja do Cidadão de Braga:

  1. Quem for à Loja do Cidadão verá inúmeros balcões vazios. A ideia guterrista, e pluri-elogiada, de concentrar os organismos burocráticos, parece encravar no preconceito de alguns membros do actual Governo...
  2. Goste-se ou não do proprietário do edifício, a primeira medida do ministério que tutela as Lojas do Cidadão deveria ser a renegociação do valor de arrendamento, antes de procurar outro espaço.
  3. A Câmara Municipal de Braga e a Junta de Freguesia afectada deveriam ser escutadas durante este processo, para avaliar impactos e alternativas viáveis. Ao que consta, o processo decorre apenas nos corredores da capital.
  4. Uma mudança da Loja do cidadão deste local vai ter um impacto muito negativo nesta zona da cidade, já desfalcada pela deslocalização do Hospital. O comércio vai ressentir-se e a insegurança pode ser uma realidade neste local.
  5. À imagem da reforma administrativa, este processo pode revelar uma postura arrogante e centralizadora do Ministério de Miguel Relvas, que em nada afirma eficácia governativa e capacidade democrática.

1 comentário:

  1. apoiado!(tanto edifício desocupado na cidade... olha, e há mesmo um ali ao lado)

    ResponderEliminar