sábado, 3 de março de 2012

A seca chegou há muito a Braga

Tem-se falado com insistência no grave período de seca que o nosso país atravessa. As chuvas que caem por todo o país nos últimos dias, vêm amenizar o cenário negativo. Todavia, na cidade de Braga há muito que a seca chegou. Não notaram?

No largo do Paço, onde repousa uma das mais vivas memórias históricas da nossa cidade, situa-se a mais bela fonte exposta em cenário urbano, entre o mui valioso e rico espólio hidráulico-monumental que dispomos. Braga foi sempre uma cidade rica em recursos hidraúlicos, daí provavelmente a fundação de Bracara Augusta num local aparentemente desprovido de um grande rio.
Ora, a fonte dos Sete Castelos, obra de Marceliano de Araújo em 1723, alegoria do brasão do grande arcebispo D. Rodrigo de Moura Telles, está sem água há muito tempo. As más línguas dizem que foi um dos efeitos das obras de construção do novo hospital, dado que o abastecimento desta fonte se faz a partir das Sete Fontes. O facto é que a fonte continua sem água, sem que ninguém proteste, reclame, repare...
Há uns anos era o cimento armado visível, que uma reconstrução pouco profissional havia proporcionado, depois a falta de iluminação nocturna... Até os frequentes descuidos da empresa de iluminações se expandem neste importante espaço urbano, com os ferros e arames do São João a ficarem todo o ano a 'decorar' este local. Agora até a Universidade pretende retirar a reitoria do edifício que foi durante seis séculos o segundo mais importante da cidade: o Palácio dos Arcebispos.

Para quando mais dignidade para o Largo do Paço?

Sem comentários:

Enviar um comentário