domingo, 22 de abril de 2012

Os 4 lampiões que tolheram o sonho!

Não se trata de um ataque aos adeptos benfiquistas, que legitimamente apoiam o seu clube e acreditam que a sua equipa é melhor que todas as outras, trata-se de demonstrar - com recurso a factos evidentes - porque é que os bracarenses e braguistas têm direito a uma também evidente indignação.
Em Portugal há 3 equipas que foram dividindo entre si os títulos relativos ao futebol português. Têm uma implantação popular que mais nenhum clube consegue alcançar, porém isso acaba por 'matar' a possibilidade de outros clubes também atingirem esse patamar.
A força que têm junto da comunicação social, que sofre de clubite evidente, a influência junto dos cargos dirigentes do futebol e o facto de uma parte dos árbitros se pintar da cor desses três clubes, acaba por condicionar violentamente a verdade das competições. O que aconteceu há dois anos, descaradamente, com suspensões de jogadores em favor da vitória final de um clube é reflexo de uma realidade. Aos bracarenses resta continuar a lutar e a crescer.
Esta semana, numa estrada do Minho profundo, saboreei  a alegria de ver uma bandeira do Sporting de Braga bem erguida. Isto a juntar aos sócios a adeptos que se deslocam de Ponte do Lima, Monção, Taipas ou Esposende, só para apoiar o Braga, confirma que esta bandeira está a crescer e já não é apenas de uma cidade, mas vai cobrindo uma região. É um sinal de que vale a pena lutar! Salvador não desistas... O dia da glória está perto!
Resta-nos estes 'ses', legítimos e justificados, relativos aos 4 lampiões que nos tolheram o sonho. Como seria este campeonato...
  • Se Bruno César não tivesse a inspiração de marcar aquele grande golo ao Braga mesmo no final da partida?
  • Se o árbitro João Ferreira tivesse marcado o penalti claro de Javi Garcia sobre Lima ao minuto 74, quando o jogo estava 0-0?
  • Se o árbitro Olegário Benquerença tivesse expulso o jogador do Porto Derfour ao minuto 45', numa altura em que o jogo Braga-Porto estava 0-0?
  • Se o árbitro Duarte Gomes não tivesse inventado uma expulsão de um jogador do Braga ao minuto 21  no jogo com o Paços de Ferreira e tivesse visto um penalti ao minuto 54 ( e se o seu fiscal de linha não tivesse inventado tantas faltas e foras de jogo quando o Braga procurava a vitória)?

Sem comentários:

Enviar um comentário