sexta-feira, 8 de junho de 2012

Bracarenses, queremos continuar assim?

@ Luís Tarroso Gomes
Esta foto é supostamente uma ilegalidade. Dada a revolta que se instalou em muitos bracarenses - alguns até sem grande ligação às questões do património - devido à destruição brutal de um aqueduto subterrâneo e, pasmem-se, da linha que marcava o arranque das paredes do demolido convento dos Remédios, a autarquia mandou acrescentar uma rede verde à zona de obras, para que a visibilidade dos trausentes se tornasse mais difícil. Para complicar os "aventureiros", proibiu também a captação de fotos...
Uma vez mais, e tal qual há 36 anos, temos políticos em Braga que agem perante o espaço público como se fosse o seu quintal. Como é possível impedir os cidadãos de captarem o que é legitimamente seu? Será que os bracarenses não têm o direito de se pronunciarem sobre o destino a dar a achados arqueológicos que fazem parte do seu passado?

Assim é a democracia em Braga...
Queremos continuar assim?

1 comentário:

  1. Os cidadãos de Braga tem que ser genuínos Bracarenses, tem que deixarem de pensar que alguém vai resolver estes assuntos por eles, isso não é nobre, cada cidadão tens as suas responsabilidades individuais e colectivas.O exercício da democracia não se exerce num só dia, aquando da votação de quatro em quatro anos.

    ResponderEliminar