segunda-feira, 30 de julho de 2012

O derradeiro suspiro do atletismo em Braga


Imagens destas, a partir de agora, só serão possíveis em arquivo
O atletismo profissional acabou no Sporting de Braga, segundo avança a edição de hoje do jornal Correio do Minho. O clube de António Salvador confirma a aposta no futebol e deixa de ter atletismo sénior, mantendo apenas os escalões de formação. Ou seja, vamos formar atletas para que o Sporting, Benfica ou Maratona aproveitem. Este desfecho já estava pressuposto em palavras recentes de Sameiro Araújo. Trata-se de uma notícia muito triste, curiosamente num período em que o clube dispõe de um estádio para a modalidade e se encontra em boas condições financeiras, ao contrário de certos período do passado, em que, mesmo assim, não se deixou de apostar nas modalidades.
O clube minhoto perde assim uma das modalidades que mais elevou o nome da cidade, no qual alcançou 14 títulos europeus, tendo dado a Portugal algumas atletas olímpicas como Manuela Machado, Albertina Machado, Mário Silva, Fernanda Marques ou Conceição Ferreira.
Admiro muito o trabalho de António Salvador no Sporting Clube de Braga, porém é bom recordar-se que as duas modalidades que mais davam nome à cidade eram a natação e o atletismo, curiosamente as duas que se viram mais afectadas pela sua gestão. Ora aí está o problema de um presidente demasiado concentrado no futebol e que parece pouco dísponível para escutar os legítimos “donos” do clube, que são os seus associados. Este assunto deveria ser discutido numa assembleia geral. É preciso que os sócios do Sporting de Braga se mexam e não se deixem anestesiar pelos sucessos do futebol…caso contrário deixaremos de ser, em breve, a cidade do andebol, a cidade do atletismo e a cidade da natação.

4 comentários:

  1. António Salvador, ao contrário do que se pensa, é uma pessoa sem grande visão. Para além disso, quando um clube passa a ser SAD, deixa de ser dos associados e passa a ser dominado por quem tem quota na Sociedade. O futebol já não é do povo, é um negócio.

    ResponderEliminar
  2. O futebol profissional sim. As modalidades e a formação não são da alçada da SAD, mas da competência do clube, portanto diz respeito ao universo associativo. Mesmo o futebol profissional diz respeito aos sócios, dado que quem o era já em 1998 também é accionista da SAD.

    ResponderEliminar
  3. São sinais dos tempos que vivemos. Também eu tinha ficado espantado há umas emanas atrás, quando ouvi que o FCPorto ia abandonar o basquetebol profissional.
    Este é o preço a pagar por uma equipa de futebol competitiva: tudo o resto será sacrificado. E mesmo assim, fica por saber até quando a gestão se manterá à tona da água.

    ResponderEliminar
  4. O estádio 1º de Maio tem assim cada vez menos utilidade...
    Esperemos que alguém assuma o atletismo de Braga, talvez em parceria com a UM. A escola superior de Desporto de Braga que falhou, podia e devia ser assumida pela UM, dando utilidade ao complexo do 1º de Maio.

    ResponderEliminar