sexta-feira, 6 de julho de 2012

Uma Liga de Futebol inquinada…


Já está definido o calendário oficial da Liga principal de futebol para a época 2012/2013. O Sporting de Braga estreia-se contra o Benfica, em Lisboa, e, uma vez mais, vai defrontar dois grandes em simultâneo (Sporting e Porto), algo que o sorteio não permite que aconteça entre os denominados candidatos ao título. Uma vez mais o sorteio foi realizado com a condicionante de nenhum dos 3 grandes poder defrontar-se em jogos consecutivos ou nas primeiras quarto jornadas.

Mas, afinal, que competição é esta? Que lógica preside a estas condicionantes? Se o Sporting de Braga tem sido mais candidato ao título nos últimos anos que alguns clubes, como o Sporting, por exemplo? Não se entende, nem justifica estas condicionantes que apenas protege os mesmos de sempre, e inquina a verdade da competição. Parte-se do princípio que estes vão ser os candidatos ao título, mesmo antes da competição se iniciar. Assim, nunca teremos uma liga competitiva e que trate todos de igual forma. A prova de que vivemos num país bipolarizado…

Se o Sporting de Braga na época passada, e numa altura em que tinha acabado de assumir a liderança da Liga, não tivesse defrontado de seguida o Benfica e o Porto (para além das arbitragens penalizadoras…), que história estaríamos hoje a escrever?

2 comentários:

  1. A verdade, é que o Braga ainda não ganhou nada nestas últimas três épocas de grande ascensão. Outra verdade, é que, dessas três épocas, apenas em duas delas esteve efectivamente na luta pelo título. Para além disso, ainda mostra alguma inconstância de equipa média, como a irregularidade de resultados que costuma marcar o último quarto de temporada do Braga. Para o Braga se cimentar como um candidato, precisa de títulos e provar que isto não é só uma fase.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo parcialmente com a análise, todavia isso não justifica que se coloquem prerrogativas ao calendário de três clubes, condicionando a verdade de um sorteio. Chama-se discriminaão. Não digo que o Braga também tenha que estar incluído nesse lote de excepções, mas o critério deveria referir-se à classificação do ano transacto e não a aspectos de historial...

      Eliminar