sábado, 18 de agosto de 2012

A "triste" fonte de D. Diogo de Sousa

Fonte foi transferida nos anos 60 para a parede de S. Sebastião
Os elementos decorativos do friso são muito semelhantes aos que decoram a porta da Senhora-a-Branca
Fonte encontra-se seca e com sinais de deterioração
A antiga fonte dos Granjinhos ou de São Marcos, mandada erigir pelo Arcebispo D. Diogo de Sousa no ano de 1509, esteve colocada durante mais de 450 anos na antiga rua dos Granjinhos, que ligava o actual largo Carlos Amarante à demolida igreja de São Lázaro. Este monumento renascentista foi transferido para a parede do pátio da capela de São Sebastião, junto ao largo Paulo Orósio, nos anos 60 do século XX, altura em que o hospital sofreu obras de ampliação que colidiram com o traçado da rua dos Granjinhos.
Artisticamente é um dos raros exemplares renascentistas da cidade de Braga, apresentando elementos decorativos interessantes ao nível da cornija e da arquitrave, composto ainda por um friso suportado por quatro mísulas. Ao centro, para além de duas cartelas atestando a data de fundação e de uma reconstrução posterior (1623), ostenta as armas de fé de D. Diogo de Sousa.
Neste momento a fonte encontra-se desprovida da sua dignidade, sem água, tanque e sem o habitual pátio que costumava fazer parte integrante destes tipo de construções. Para além do mais, serve de amparo ao estacionamento automóvel, ocupando uma posição discreta e pouco digna para a sua importância monumental.

Não deveria esta fonte ser colocada num local que proporcionasse a sua valorização? Não poderia ter sido enquadrada numa das novas praças renovadas pelo projecto de Regeneração urbana?
Até quando o património bracarense vai ser tratado assim?

Sem comentários:

Enviar um comentário