segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Como faltar ao respeito dos cidadãos

@ Largo da Senhora-a-Branca, 20 de agosto de 2012
Esta foto foi tirada hoje na metade ocidental do largo da Senhora-a-Branca e atesta a total falta de respeito pelos cidadãos.
Ao longo dos últimos meses, e dado que todos os dias tenho que atravessar este espaço urbano, habituei-me a engolir poeira, caminhar sobre lama, surpreender-me com a morte de árvores, colocar-me à frente de máquinas e frequentes vezes ter que caminhar no mesmo espaço que os automóveis, devido à ausência de um corredor de circulação para trausentes.
Hoje, ao dobrar a esquina da rua de Santa Margarida, pretendia deslocar-me para a avenida Central e dei de caras com uma máquina e muitos trabalhos, sem ter alternativa válida para me deslocar ao meu destino. Do outro lado os arbustos vedavam-me a passagem. Na estrada circulavam os automóveis impacientes.
Já nem discuto a falta de respeito que é, em democracia, remodelar e alterar severamente espaços urbanos e cívicos sem consultar a população ou os habitantes dos mesmos espaços. A esses tiques arrogantes e quase ditatoriais já estamos muito habituados nas últimas três décadas. Todavia, deixar de respeitar as pessoas que por aqui circulam durante o período de obras, não salvaguardando a segurança dos peões e não conferindo as devidas alternativas de circulação (que a lei provavelmente impõe...), é premissa grave e pressuposto discutível na forma de intervencionar um espaço onde estão pessoas.

Sem comentários:

Enviar um comentário