quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Lisboa, o Porto e...a paisagem

A Câmara Municipal de Lisboa vai receber 286 milhões de euros pela cedência dos terrenos do aeroporto que, afinal, ainda lhe pertenciam. Um valor significativo para uma autarquia que é a mais endividada do país, com cerca de 1,2 mil milhões de euros de dívida acumulada.
Perante isto, a Câmara Municipal do Porto já veio pedir igualdade de tratamento. Ou seja, as duas Câmaras Municipais mais beneficiadas em termos de investimento estatal estão a discutir os benefícios mútuos. Um escândalo administrativo, que apenas se justifica pelo poder reivindicativo da capital.
Resta saber se a autarquia lisboeta não beneficiou da presença deste equipamento no município ao longo das últimas décadas, sendo o destino privilegiado de quem aterra em Portugal. Isso também estará previsto nas contas da autarquia?

A prova de que vivemos num país hiper-centralizado em duas cidades, cada vez mais bipolarizado, algo que Braga, com a sua afirmação demográfica e económica, pode ir combatendo. Recordar que somos o 7.º maior município português e o único entre os 20 maiores, que se localiza fora das áreas metropolitanas de Lisboa e Porto.

2 comentários:

  1. Há décadas que este país centraliza tudo no Porto e Lisboa...

    Quanto à população dos municípios, Guimarães aparece em 14º, Coimbra 16º e Famalicão 20º.
    E já fora do top 20, Barcelos em 23º.

    O Quadrilátero se fosse uma entidade funcionante, combatia de forma mais eficaz esta bipolarização...

    O grande problema de Braga tem sido a gestão virada para o umbigo... os sucessivos executivos camarários desde 1977 que o não souberam gerar interações e causas comuns dentro do Minho, apenas souberam apregoar Braga de terceira cidade e capital do Minho.

    ResponderEliminar
  2. Obrigado Carlos! Já vi que partilhamos os mesmos valores no que ao Porto centrismo diz respeito. Voltarei a este e outros assuntos.
    Agradeço a rectificação quanto à demografia. Afinal não somos o único nos 20 mais, mas nos 13 mais... Quase!

    ResponderEliminar