quinta-feira, 23 de agosto de 2012

Uma "prenda" para Mesquita

Mesquita Machado vai ser alvo de uma homenagem da parte de alguns presidentes de junta de freguesia. Os autarcas vão jogar sueca - o passatempo preferido do edil - e oferecer uma lápide de prata para assinalar os seus 36 anos na câmara. Segundo a versão do boletim camarário (que anunciou este assunto com uma pompa incompreensível) são 60... Segundo outras fontes, um pouco menos.
É certo que Mesquita Machado tem méritos, nomeadamente, na água e saneamento, no apoio às associações e na remodelação de espaços físicos nas freguesias mais distantes do arco urbano.Todavia, cada vez mais se abordam os seus defeitos, o seu défice democrático e outros "vícios" que o seu longo reinado tem provocado.
Vemos líderes como Alberto João Jardim ou Valentim Loureiro, que também se perpetuaram nos respectivos lugares, e o estilo é seguramente diferente. Mesquita percebeu os frutos que pode retirar de ser discreto e estar calado. Dizem que é sempre muito afável com quem o visita e sabe conquistar os municípes por isso mesmo. Pessoas que entram furiosas no seu gabinete, e dispostas a dizer-lhe o que deve gostar pouco de ouvir, saem a pensar que até estiveram com um homem muito honesto e que, afinal, os malandros são os que o rodeiam. Porém, tem o terrível defeito de não perceber quando se deve retirar. Não houvesse a lei da limitação de mandatos e certamente arriscaria novo ensejo. A diferença é que há cada vez mais bracarenses interessados em saber o tipo de decisões que a Câmara Municipal toma, a natureza dos negócios e negociantes que patrocina, o que faz pelo património e pela cultura e as explicações que não dá aos cidadãos. Chama-se cidadania tem sido a maior dor de cabeça do autarca. Daí esta homenagem não ser, propriamente, consensual.

A minha freguesia, depois da arrogância e da falta de colaboração constante que tem tido da parte deste Presidente da Câmara, seguramente não estará na homenagem. A maioria serão presidentes de freguesia de zonas rurais ou suburbanas, distantes que estão das realidades que acontecem na cidade.
Os promotores da homengem estão no seu direito e sentem, seguramente, que têm motivos para levar a cabo esta homenagem. Esperemos, todavia, que a "lápide" não seja paga com o nosso dinheiro.

2 comentários:

  1. Sr. Rui,
    Eu propunha-lhe uma nova sondagem para o seu blog sobre este assunto. Assim, porque é que os Presidentes de Junta vão oferecer uma lápide a Mesquita?
    i) Para porem uma pedra sobre este assunto;
    ii) Para tirarem esta pedra do seu sapato;
    iii) Para que fique pedra sobre pedra;
    iv) Porque não têm os mesmos pecados e podem atirar a primeira pedra;
    v)Para darem uma pedrada no charco;
    vi) Porque depois de uma tarde inteira a inalarem fumo de charuto vão ficar pedrados.
    Abraço

    ResponderEliminar
  2. É justo que os afilhados homenageiem o padrinho. Afinal, foram muitos anos de folares...
    Mario Puzo não desdenharia contar a história.

    ResponderEliminar