sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Braga, a cidade dos espaços verdes...em projecto

Braga é, de facto, uma cidade formidável. São mais de dois mil anos de história, congregados em diversos testemunhos patrimoniais e um legado que complementa o passado notável que viveu. Capital religiosa de Portugal, ainda hoje exibe, nas suas tradições e costumes, a força que a Igreja imprimiu na sua fisionomia.
O seu crescimento demográfico, académico e económico, despoletado nas últimas décadas, acabaram por transformar a cidade e fazer dela uma das metrópoles de Portugal, claramente diferenciada das outras cidades médias. Porém, este crescimento não soube ser acompanhado devidamente a nível da cultura, da proteção do património e dos espaços verdes e de lazer.
Nos últimos 36 anos de gestão autárquica os bracarenses foram expressando o seu desejo por parques urbanos e espaços de efectivo convívio. Fartos de uma política de solos que beneficia quase sempre os interesses privados, Braga candidata-se a ser conhecida como a cidade dos espaços verdes em projecto, tal é a inoperância dos actuais decisores autárquicos.
Em 36 anos a população urbana cresceu cerca de 90%, porém a cidade continua a dispor de um único parque urbano, inaugurado em 1922!
Entretanto não faltaram promessas e promessas: o parque do Picoto (21 hectares) em 1981; o parque urbano da zona Norte (55 hectares) em 1997; a alameda da Quinta dos Peões, em discussão desde 1995; o parque das Sete Fontes (cerca de 20 hectares), prometido em 2009; a renaturalização das margens do rio Este, que avança muito lentamente; e o parque de Guadalupe, cuja promessa recua a 2008.
Se eu fosse presidente da Câmara durante 36 anos teria vergonha de um legado verde deste calibre.

Quando é que os bracarenses se vão revoltar com esta forma de fazer política?

2 comentários:

  1. Parques ! só subterranos. Este é o legado do reinado de MM, é triste, mas é a realidade pura e dura.
    Comprimentos, fernando moreira

    fernandomarado@gmail.com

    ResponderEliminar
  2. Quanto as espaços verdes? ... Uma miséria. Vá-lá temos, ao menos, o parque de S. João da Ponte. Lindo e muito bom. Todavia, muito pouco para uma cidade 3ª metrópole do país.
    Projectos, boas intenções ... já estamos fartos.

    ResponderEliminar