sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Braga e Guimarães: por uma rivalidade sadia

As rivalidades regionais não deixam de trazer pontos positivos, se não proporcionarem actos de violência e fanatismos irracionais. As cidades de Braga e Guimarães vivem há cerca de 170 anos um despique, que já teve direito a episódios infelizes, mas que frequentemente contribui para o crescimento das respectivas cidades e instituições.
Em vésperas de mais um derby minhoto - dia 28, às 21h30 - as direcções do Sporting Clube de Braga e do Vitória Sport Clube deram um sinal de efectiva reaproximação. O novo presidente do Vitória, Júlio Mendes, parece ser mais lúcido e conciliador que o seu antecessor. Reatou relações com a autarquia, pôs termo às tentativas economicamente arriscadas de ombrear com o Braga, pondo as contas do clube em ordem. Marcou ainda presença no estádio AXA para o jogo da Selecção Nacional, ao que parece bastante próximo de António Salvador. Nem as desmedidas palavras anti-Braga pronunciadas pelo seu vice-presidente, Luís Cririlo (não se percebe como foi Governador Civil...), conseguiram atrasar esta reaproximação sadia. Além de ter permitido o adiamento do jogo para um sexta-feira, devido aos compromissos europeus do Sporting de Braga, é comentada a possibilidade de um lanche entre as direcções.
Para trás ficam os infelizes acontecimentos do Vitória-Braga da época 2010/2011, em que os cinco mil adeptos do Braga foram sujeitos a todo o tipo de tentativas de agressão, com apedrejamentos ao autocarro da equipa bracarense e ao automóvel do presidente.

E que tal o regresso da Taça da Amizade?

4 comentários:

  1. Ó Rui desculpa a minha frontalidade... Eu que até sou um tipo equilibrado e conciliador e que tenho tantos amigos em Braga e que sou vitoriano. Este post está desiquilibrado. Esté muito anti-vitória. Até parece que o Vitória (sócios, simpatizantes, presidente e vice's)é o diabo e que em Braga andas "anjos". Gosto que o Vitória "arrume" a sua casa... Mas no que diz respeito à rivalidade à caminho a fazer quer por "espanhóis" quer por "marroquinos"...

    abraço amigo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Zeto, embora não concorde com esse desiquilibrio, aceito que assim entendas. Sou bracarense e braguista, portanto naturalmente que isso prepassa no que escrevo. Além do mais, no último Vitória-Braga fui agredido gratuitamente e sem levar qualquer elemento que me diferenciasse. Confesso que, desde essa experiência, me custa a forma como uma parte dos adeptos do Vitória olham para Braga. Cito aí duas situações, que efectivamente não contribuíram para as relações dos dois clubes. Já agora, a direcção do Braga tem dado mostras de reaproximação. O Milinho não deixou...
      Abraço

      Eliminar
  2. Este post dá a entender que foi o presidente do Vitória a baixar as calças ao salvador.

    ResponderEliminar
  3. Claro que foi amigo anónimo. O Salvador não precisa de baixar as calças ao presidente do Vitória, os milhões arrecadados recentemente chegam.

    ResponderEliminar