segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Sobre a Academia de futebol do Braga?

Em declarações recentes, António Salvador voltou a referir-se ao sonho da constituição de uma academia de futebol, valendo-se de uma promessa feita por Mesquita Machado ao maior clube do Minho.
Trata-se de um equipamento que, para além de aumentar os activos do clube, pode ser fundamental para a sustentabilidade futura do Sporting de Braga. Todavia, é essencial seguirmos com atenção este processo. A este propósito, e como cidadão e municípe, deixo algumas questões pertinentes:
  • Que terrenos pensa doar a autarquia? 
  • Quanto vão custar? 
  • Que critérios vão ser utilizados na escolha dos terrenos a adquirir? 
  • A quem pertencem estes terrenos? 
  • Existe alguma ligação familiar ou económica entre os detentores dos terrenos a adquirir e os implicados neste processo?

Estaremos muito atentos a este propósito...

6 comentários:

  1. Só espero que avance, até porque o Merelinense será o mais beneficiado com essa academia ;)

    ResponderEliminar
  2. Em que sentido é que o Merlinense sai a ganhar?

    ResponderEliminar
  3. Veja os plantéis das camada jovens e dos seniores do Merelinense e repare de onde é que são oriundos muitos dos seus jogadores. E depois dê uma espreitadela pelo plantel sénior do Braga e repare onde são formados. Espreite também o plantel dos juniores e veja de onde são naturais muitos dos seus jogadores. Depois de ver isso tudo, conclua quem é a equipa do concelho que verdadeiramente joga com atletas bracarenses ou formados em equipas bracarenses.

    Confira aqui: www.zerozero.pt

    ResponderEliminar
  4. Mas anda tudo louco? Em 2009 o país não estava em estado de excepção e já então me pareceu excessivo. Só o que até poderia aceitar em 2009, hoje já não posso. O SCB não apresentou 5M de lucro recentemente? Já não joga e treina em instalações da CMB com os custos que todos recentemente descobrimos? Porque é que a CMB terá que pagar os terrenos? Já não chega? A CMB diz que não há dinheiro para transformar as 7 Fontes no verdadeiro Parque Urbano. As ruínas romanas continuam sem ser valorizadas. A cidade continua a viver de romarias e os mimetismos culturais recentes ficam pela cópia barata. A Braga Romana, que poderia ser um cartaz e bandeira da cidade, não consegue ir muito além do modelo das feiras medievais. Procurar a Bracara Augusta na Braga Romana é quase inglório. Braga vai vendo os concelhos vizinhos afirmar uma identidade, vai perdendo serviços, vai perdendo afirmação regional, vai perdendo importância económica e vitalidade e nada se faz para contrariar porque não há dinheiro. Só que chega o futebol e já há dinheiro? Estão a brincar connosco? Eu quero lá saber quem são os terrenos, quanto vão custar e quais são as relações familiares/económicas dos envolvidos. Não quero é que seja a CMB a pagar esses terrenos!

    ResponderEliminar
  5. Engraçado, foram levantadas muitas questões importantes, mas só duma face da moeda, mas a moeda tem duas faces..
    Uma é a de quem vende, normalmente grandes proprietários (que procuram muito lucro) que com as suas ligações ao poder local são detentores de grandes áreas de terrenos nas zonas que vão ser expropriadas (mera coincidência). E a outra face da moeda é de quem paga, quanto paga e porque paga.
    Este tipo de negócio só se faz porque há garantias por parte de alguém.E a minha grande preocupação não é o enriquecimento de alguns , mas sim esse enriquecimento à custa do prejuízo de todos nós.
    Mas como é para o sc braga acho que não há problema !!!

    ResponderEliminar