sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Sondagem Maior: Hugo Pires "goleia" Vítor Sousa

© Revista "Sim"
Durante os últimos 16 dias disponibilizamos no blogue Braga Maior uma sondagem que confrontava os dois plausíveis candidatos a candidatos pelo PS à Câmara de Braga.
Até ontem os resultados apontavam 76% de opiniões favoráveis à candidatura de Hugo Pires e apenas 23% favoráveis a uma lista encabeçada por Vítor Sousa. Hoje, por alguma inexplicável situação, a sondagem desapareceu do blog, sem que o administrador deste blogue tenha tido qualquer influência nesse facto. Uma triste coincidência que não pode deixar de ser estranha...

Facto indesmentível é a preferência dada a Hugo Pires pelos leitores deste blogue, talvez conscientes da necessidade de um debate equilibrado entre o candidato Ricardo Rio e uma facção do partido que se proponha renovar a desgastada gestão socialista; ou apenas devido à consciência de que a ética e os valores devem estar pressupostos em alguém que se proponha ser presidente deste município... por mais fortes que sejam algumas ambições familiares.
Esta sondagem apenas contemplava os dois únicos nomes saídos da lista vencedora das eleições concelhias, dado que António Braga já não parece ter condições para se candidatar, a não ser que as suas ambições pessoais colidam com o debate interno do seu próprio partido. Nuno Alpoim também parece estar distante desta corrida. Caso concorresse, imediatamente lhe perguntaria o que fazia em relação às Sete Fontes? Quanto ao independente José Mendes não parece contar com unanimidade no seio do PS, ainda para mais numa secção com tantos militantes e tantos protagonismos.

Desconheço os motivos do desaparecimento da sondagem, mas parece-me que o facto de alguém se ter dado ao trabalho de bloquear a mesma é sinal da responsabilidade cívica crescente deste blogue.
É bom que os ânimos se acalmem no Partido Socialista bracarense, para o bem de Braga e da democracia.

Podem comprar-se votos com bolas, aventais e, até, electrodomésticos, mas a liberdade de pensamento e a sensatez não se compram de qualquer maneira. Por isso mesmo estou certo que as próximas autárquicas vão ser a prova real da maturidade democrática dos bracarenses, e a derrota inequívoca do populismo

3 comentários:

  1. imagino que tenha sido problema do blogger. aconteceu o mesmo noutro blogue que costumo ler.

    ResponderEliminar
  2. Se calhar acabou o saldo dos telemóveis aos administradores da CEJ...

    ResponderEliminar
  3. Em rigor, não se deve designar por sondagem estas ferramentas. O conceito de sondagem tem sido bastante deturpado como ficou evidente numa conferência organizada recentemente pela Universidade do Minho. Uma sondagem precisa de ter um rigor científico em todas as suas fases que estas ferramentas não permitem. Não digo que não sejam interessantes, mas valem o que valem. Numa das intervenções com mais piada da conferência referida, um catedrático da Universidade de Lisboa explicou que numa turma tinha mandado um grupo fazer o trabalho de campo para a porta de uma igreja e outro para um jantar de homenagem à Odete Santos. A sondagem era sobre a alteração da lei do aborto e como é evidente os resultados foram completamente diferentes. Problema dos dados? Problema do seu tratamento? Não, simplesmente um problema da amostra. Aliás, este efeito é bem conhecido pelas empresas que querendo fazer fretes não precisam de martelar os números. Basta preparar "bem" a amostra. Quanto ao problema informático, não ficou bem levantar suspeitas. Estas plataformas grátis possuem estas desvantagens

    ResponderEliminar