quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Hugo Pires e as Convertidas


«Estamos disponíveis para conversar e abdicarmos do projeto da Pousada da Juventude no convento de S. Francisco, em Real, para o instalarmos na Casa das Convertidas». «A Casa das Convertidas pode ser um espaço âncora, que permita que a avenida Central continue a ter vida própria». «Já foram feitos contactos no sentido do Ministério da Administração Interna entregar o edifício à autarquia». «As Convertidas podem acolher ainda uma residência temporária para investigadores da Universidade do Minho ou do Instituto Ibérico de Nanotecnologia».
PS: Hugo Pires manifestou também «disponibilidade» para integrar nesse projecto da nova pousada algumas das valências propostas pelo Grupo Gonçalo Sampaio.

2 comentários:

  1. Mas há um ponto muito significativo que o Hugo Pires menciona na entrevista à TVMinho e que importa esclarecer.
    Dizia ele que o projecto da Pousada da Juventude no convento de Real foi submetido ao QREN e não obteve qualquer resposta.

    A pergunta impõe-se: porquê? Porque é que o projecto foi ignorado, mesmo com o pretexto da Capital da Juventude? Foi mal elaborado? Foi por causa de haver outros projectos como o do GeNeRation? Ou foi porque não se considera uma real necessidade investir numa nova pousada da juventude?...

    ResponderEliminar
  2. A questão da instalação da pousada no centro da cidade não devia ser descutida ao sabor das oportunidades. Este é o erro original do processo no qual o vereador Hugo Pires possui responsabilidades. Os argumentos para a sua localização no centro da cidade são tantos que o que deveria ser pedido ao vereador era a justificação do atual projeto. Nunca perceberei porque não foi localizada no antigo quartel da GNR e espero que não se venham a lembrar que poderá ser localizada na Confiança. A questão da sua instalação nas Convertidas depende muito do projeto. A localização é boa, mas a arquitetura suportará essa adaptação?

    ResponderEliminar