domingo, 18 de novembro de 2012

Manifestação ou encenação?

Ontem à tarde, cerca de uma centena de bracarenses manifestaram-se contra a reforma administrativa.
Reparando em alguns dos cartazes transportados pelos manifestantes, percebia-se imediatamente a finalidade desta manifestação. A criatividade de algumas gravuras, nomeadamente aquelas que transportavam os protagonistas políticos de Braga (nomeadamente tentando passar a mensagem que o culpado é Ricardo Rio), atestavam que afinal as motivações desta manifestação poderiam ser outras. Evidentemente alguns dos presentes estavam ali por convicção. Evidentemente outros não...
É bom que alguns socialistas não se esqueçam de alguns princípios (para já não falar de outros que parecem já ter esquecido):
  1. Que quem propôs esta reforma foi o PS liderado por José Sócrates;
  2. Que a Câmara Municipal - ou alguns dos seus líderes - que agora propõem esta manifestação, são os mesmos que rejeitaram pronunciar-se. Essa recusa levou Braga a perder mais 10 freguesias...
Também sou absolutamente contra esta forma de fazer a reforma administrativa e até me manifestaria pela demissão de Miguel Relvas, rosto de uma maneira de fazer política lamentável. Todavia, fazer política recorrendo ao populismo e ao ódio não tem nada a ver com democracia. Pelos vistos é a única arma que resta a alguns...quando falta a credibilidade. Esperemos pelo anúncio do candidato do PS para percebermos melhor esta manifestação.

7 comentários:

  1. Não foi o PS de Sócrates que propôs esta reforma de extinção de freguesias. A reforma administrativa pode ser feita de muitas formas, sendo uma delas a regionalização. Esta reforma administrativa com base na extinção de freguesias é única e exclusivamente do governo PSD/CDS.

    ResponderEliminar
  2. Pelo conteúdo do post, vê-se que o autor escreveu o que lhe pediram para escrever! 100 pessoas?
    Memorando? Faça favor de o ler e verá que lá é proposta a redução de autarquias... não apenas de freguesias! Ou será que os municípios não são autarquias?
    Se é contra a extinção de freguesias acha que aqueles que também o são deveriam apresentar uma proposta?
    Porque não a apresentaram os seus defensores (PSD/CDS)?
    (Diga-se de passagem que a apresentaram, só que por baixo da mesa... Basta ver o mapa proposto para Braga... Facilmente se concluirá que ele teve origem em Braga. E não foi da parte do PS...).

    ResponderEliminar
  3. Sr. Luís Amaro,
    A proposta de fusão e extinção de Freguesias está tal e qual nos programas eleitorais e de governo do PS desde 2005. Como militante, devia ler.
    E, sim, foi o governo de Sócrates que inseriu essa proposta no Memorando com a Troika.

    Sr. Silva,
    O Sr. Rui Ferreira só contou as de Braga. De Fafe, Barcelos e Cabeceiras de Basto vieram mais umas duas centenas. Seja como for, com mais de 500 freguesias no distrito, tiveram uma média de 1 pessoa por freguesia. Não é mau! Se fizessem uma manifestação contra os cães urinarem nos jardins devia ter mais gente mas percebe-se que as pessoas costumam dar mais valor ao que mexe com elas...

    ResponderEliminar
  4. Que foi o Governo PS a apresentar esta proposta nas negociações da ajuda internacional já foi confirmado em diversos locais. Até há declarações dos representantes da troyka a confirmar isso. Aliás, essa medida fazia parte do plano do governo de Sócrates, estava no programa eleitoral. Antes disso fazia parte do discurso de muitos políticos do PS como o Francisco Assis que várias vezes se referiu a ela na tv no comentário político. O António Costa tinha avançado ela em Lisboa e tinha tido apoio do PSD. Havia um certo consenso da sua necessidade. Um consenso lógico porque ela era necessária. Esta medida deve até sido apresentada nas negociações como demonstração do empenho em fazer uma reorganização da administração e a expressão autarquias foi mais uma dos exemplos da chico-esperteza socrática. Lembram-se do debate sobre a redução "significativa" da TSU durante a campanha? Antes já tinha sido a diferenciação de promessa e objetivo de 150 mil empregos. Sócrates foi sempre isso, um político hábil na palavra e pouco confiável. Agora o que eu não percebo é porque é contra esta forma de fazer a reorganização? Idealmente ela deveria ter sido mais participada, mas o memorando estabelece também um cronograma. Quem o assinou comprometeu-se com as medidas, mas também com o cronograma da implementação. As avaliações periódicas não são mais que a verificação do cumprimento do cronograma nas fases intermédias. Quanto à ligação à política local não posso concordar. Tanto quanto sei nessa manifestação participou o Firmino Marques, está a dizer que ele tentou culpar o Ricardo Rio? O mundo não é a preto e branco...
    Há no entanto uma coisa em que todos se enganam: a maioria das pessoas até ficaria contente se a reorganização fosse mais longe e acha que os que se manifestam apenas estão a defender o seu poder.

    ResponderEliminar
  5. Se as manifestações se contabilizassem por operações aritméticas, nenhuma valia nada em comparação com os dez milhões de portugueses. Demagogia barata. Facto: a maioria não concorda com a extinção das freguesias e votou contra, inclusive os autarcas da coligação, portanto é o Rio que está isolado.

    ResponderEliminar
  6. O Rio está tão isolado tão isolado que ontem até juntou centenas de autarcas à volta dele. Ele diz que eram abraços, mas eu acho que o apertavam porque lhe queriam tirar o ar...

    ResponderEliminar
  7. Volto ao assunto: o memorando não aponta para a extinção de freguesias... indica uma redução de autarquias, que, no meu humilde conhecimento, inclui freguesias e municípios! Certo? Onde está a extinção de municípios? Aí é que haveria grandes poupanças e ganhos de eficiência! Ou não?
    Mas os barões e a clientela partidária falam mais alto!
    Porquê municípios como Amares/T Bouro e V Verde? Ou Arcos de Valdevez e P Barca?
    O governo fala em coragem... eu só vejo aí uma grande covardia: "forte com os fracos e fraco com os fortes"...
    Já agora, o que acham do mapa desenhado para Braga? Mesmo ao gosto de certas forças partidárias...

    ResponderEliminar