sexta-feira, 9 de novembro de 2012

O fim da Rampa da Falperra?

A Rampa da Falperra é um dos principais acontecimentos desportivos do rali nacional, e realiza-se em solo brácaro, atraindo algumas centenas de milhar de pessoas. Iniciativa feliz do Clube Automóvel do Minho, teve a sua primeira edição em 1950, tendo regressado em 2009 após alguns anos de interregno.
Devido à falta de patrocínios a prova corre o risco de não se realizar em 2013. Por esse motivo, o Clube Automóvel do Minho recorreu à generosidade da Câmara Municipal de Braga para financiar em 30 mil euros este evento. A resposta foi negativa e, desta forma, a Rampa corre grandes riscos de não se realizar.

Perante uma autarquia que trata assim um dos seus maiores cartazes anuais, mas não se importa de esbanjar 8 milhões num esqueleto de betão e de oferecer 500 mil euros por cada relvado sintético implantado no município (alguns sem qualquer utilidade, para além dos lucros das empresas que os executam), que dizem os bracarenses?
Se calhar alguns ainda aguardam os parques verdes prometidos, um grande parque de diversões (muitíssimo melhor que a Bracalândia), a Capital Europeia da Cultura, entre outros devaneios...

4 comentários:

  1. Pois lá está, se os apoios ao desporto em Braga, concedidos pela CMB não começassem e acabassem no SCB, já sobraria mais para os outros desporto, motorizados ou não.
    Quando se defende aqui neste blog com unhas e dentes os apoios vergonhosos que a CMB dá ao SCB, esquece-se precisamente que a manta do orçamento é curta e que para tapar de um lado, destapa-se para outro.
    Vai uma aposta que se faz primeiro em Braga um centro de estágios para o SCB que os tais espaços verdes e/ou a protecção do património, tal como as Sete Fontes?
    Contudo e apesar da miopia deste blog em relação ao SCB, dou os meu parabéns pelo que em geral é aqui dito e efeito, e espero que continuem a fazê-lo, que eu cá estarei também para o ler e comentar.

    ResponderEliminar
  2. Mais uma vez se prova que a politica desportiva da CMB se resume ao sc braga.
    Quando se gastam milhões por ano com um clube profissional de futebol e não se tem uns poucos milhares para a realização de uma prova que já foi uma das mais prestigiadas da Europa, acho que está tudo dito.
    De lembrar que apesar desta prova se realizar apenas uma vez por ano traz à cidade milhares de pessoas (se calhar mais que o futebol durante o ano todo), e que os 3 ou 4 dias da prova são uma importante fonte de receita principalmente para a hotelaria. As obras que a rampa precisa são um investimento para anos futuros e até podem ser entregues a um empreiteiro da cidade, assim acho que a CMB já concorda.
    O Clube Automóvel do Minho apesar da sua actividade não ser o futebol também é um clube e precisa de apoio, tal como outros clubes da cidade que apesar de participarem nas principais divisões das sua modalidades não têm um pavilhão em condições para os servir, um pavilhão que poderia servir mais que um clube e o custo seriam uns trocos comparados com o custo do estádio municipal.
    De lamentar quando alguns clubes (como o ABC ou o CAM) já tanto deram à cidade em alturas em que o sc braga mal era conhecido em Portugal.

    ResponderEliminar
  3. Primeiro quem tem fome. depois os popos.

    ResponderEliminar
  4. O custo beneficio desta prova é elevado para cidade a todos os níveis, por isso é vergonhoso que a câmara não apoie o projecto.

    Mas o modelo de negocios da corrida da Falperra e completamente errado. Com a quantidade de publico que o evento tem se fosse correctamente aproveitado o potencial retorno economico do mesmo não precisava de apoios de ninguém.

    ResponderEliminar