quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Um jogo quase perfeito

Os adeptos do Braga viveram ontem uma noite quase de sonho, quase porque o final da partida revelou os protagonistas do costume. O poderoso Manchester United, 2.º do ranking mundial de clubes, fez uma exibição sofrível e soube aproveitar os erros adversários.
Muitas situações de golo, remates e domínio de jogo, não chegaram para que o maior clube do Minho conseguisse alcançar a vitória que chegou a ter nos pés, com um remate certeiro de Alan. O Sporting de Braga chegou ao intervalo com 9 remates contra apenas 2 do adversário, estatísticas que confirmam a inequívoca supremacia minhota.
A segunda metade justificou a  do primeiro tempo, todavia - uma vez mais - a inoperância do banco, que muito tardou em substituir Amorim, por exemplo, (que está na origem do lance do 1.º golo adversário...), foi decisiva para o desfecho da partida. Alguns jogadores estavam exaustos e repetiam perdas infantis de bola, mas ainda assim aguentaram-se até à primeira substituição que só ocorreu aos 83 minutos!!!
Se algum culpado há para o resultado de ontem, chama-se José Peseiro, que perde o seu mérito táctico pela forma tardia como mexe no seu onze inicial. Foi assim em Manchester. Foi assim ontem... O que faz Mossoró no banco de suplentes?
Os minutos finais e os 3 golos do Manchester deitaram todo o esforço por terra. Derrota por 1-3, mas boas perspectivas para seguir em frente.

Os jogadores estão de parabéns (à excepção do desastrado Salino...)!

1 comentário:

  1. Quase ganhou em Braga.
    Quase ganhou em Inglaterra.
    Quase ganhou a Liga Europa.
    Quase foi à final da taça da Liga.
    Quase ganhou a 1ª Liga.
    Quase ...

    ResponderEliminar