segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

O ano bracarense em revista: verão ameno

Jantar de homenagem a Mesquita agitou as águas serenas do verão

Numa altura de sucesso e equilíbrio financeiro o Sporting de Braga acabou com uma das modalidades que lhe deu mais títulos: o atletismo sénior. O mês não terminou sem que Mesquita Machado fosse acusado de agredir uma municípe em plena Câmara Municipal. Discutimos ainda os números do turismo em Braga e acompanhamos as polémicas em torno da entrevista de Hugo Pires à RUM. Afinal, a JovemCoop já era conhecida por milhares antes da CEJ... Questionamos o porquê de Braga ser uma cidade cinzenta e escutamos os bracarenses que querem os políticos longe da gestão de empresas públicas. Propusemos uma Braga que se afirma como cidade do barroco e expusemos as verdades que qualquer cidadão deveria saber em vésperas de umas eleições autárquicas. Revoltamo-nos ainda contra a concessão dos parquimetros a um privado, curiosamente algo que Mesquita Machado havia negado. Comentamos o alegado envolvimento de Vítor Sousa num processo de "luvas", enquanto se sucediam incêndios na mata das Sete Fontes. Em Agosto realizou-se um jantar de homenagem dos presidentes de junta a Mesquita Machado, que afinal não era bem assim... enquanto este esperava alguns meses para homenagear um bracarense medalhado nos Jogos Olímpicos. O Braga apurava-se novamente para a Liga dos Campeões e discutia-se o investimento milionário feito em relvados sintéticos. A Confiança ardia e a cidade ficava inundada a cada tempestade. Questionamos ainda as formas das rotundas em Braga, enquanto discutiamos as incongruências de Lisboa e o Porto em relação ao restante território.

Sem comentários:

Enviar um comentário