segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

O silêncio dos "inocentes"...

A Associação de Moradores do Bairro das Andorinhas emitiu um comunicado a reprovar a atitude da PSP na sequência dos incidentes registados à margem da partida da passada sexta-feira, entre o Braga e o Porto. Segundo esta associação, os agentes policiais (muitos vindos do Porto) «disparou centenas de tiros, onde um desses tiros atingiu gravemente um morador de 16 anos que se encontrava no 4.º andar na sua habitação». Da mesma forma, «vários moradores, que nada tinham a ver com esta situação, foram barbaramente agredidos pela PSP, e alguns tiverem mesmo que receber assistência hospitalar».
Sendo verdade esta informação - e não temos motivos para duvidar - trata-se de uma situação grave, que merecia que as autoridades autárquicas se pronunciassem. Como é possível um presidente da Câmara ficar calado perante um abuso de poder, que colocou em causa a integridade e bem-estar de bracarenses? Como é possível que não se apurem responsáveis e explicações para o sucedido?

PS - É pena que o mentor deste novo estádio não saiba os quilómetros que os adeptos têm que percorrer para chegarem ao estádio, pois têm que deixar o carro estacionado junto às vias de acesso (dada a falta de estacionamento junto ao estádio). É pena que o mentor desta obra de arte, nunca tenha tido que percorrer a longa avenida de acesso ao estádio, tenha subido todas as escadas para assistir ao jogo na nascente superior (pois os poucos elevadores disponíveis só servem o acesso aos camarotes), muitas vezes expostos à chuva ou ao calor. É pena que esse senhor não saiba o perigo em que se incorre ao percorrer as vias de acesso ao estádio em dias de jogo, convivendo lado a lado com automóveis e adeptos adversários, tantas vezes alterados. 
Do conforto do seu camarote e do seu estacionamento privilegiado debaixo do estádio, é difícil entender o que passam tantos bracarenses...

6 comentários:

  1. Imaginem que o SCBraga recebe um determinado clube para um jogo da LPF. Imaginem que o SCBraga perde o jogo ainda que se sinta prejudicado. Imaginem que os adeptos desse determinado clube na saída do estádio destroem a sede de outra colectividade local. Imaginem que o presidente do SCBraga até já tinha sido presidente dessa colectividade. Imaginem que o SCBraga voltava a jogar com esse determinado clube passado uma semana para a Taça de Portugal. Imaginem que os adeptos do SCBraga e da outra colectividade resolvem retaliar pela sede destruída. Imaginem que na sequência dos confrontos se dá um atropelamento mortal de um adepto do SCBraga. Imaginem que no final do segundo jogo os adeptos procuram retaliar pelo atropelamento mortal. Imaginem que esses confrontos acabam com a PSP a efectuar disparos que atingem outro adepto do SCBraga que assistia a tudo na varanda da sua casa. Imaginem que esse determinado clube não era o FCPorto. Acham que o SCBraga ficaria calado?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isto é um caso de policia, e à policia cabe investigar e apurar os factos. A direção do SC Braga emitiu um comunicado. Podia ter feito mais barulho, é verdade, mas em nada resolveria.

      Surpreende-me ainda não terem sido levantadas algumas questões em volta deste caso:

      Qual foi o grau de risco atribuído a este encontro(segundo sei quanto mais alto maior será o dispositivo de segurança a ter em conta)?

      Onde estavam os batedores de segurança para efetuar a escolta à frente e atrás dos autocarros que transportavam os adeptos adversários, por forma a não se desviarem do percurso establecido?

      Tiveram os adeptos visitantes acompanhamento policial no momento da entrada no estádio por forma a evitar o contacto com os adeptos da casa?

      Tudo me faz parecer que houve aqui negligência ao nível da segurança. Quem é responsavel?

      Eliminar
  2. Se passam mal os bracarenses que dizer daqueles que acompanham o visitante.
    Quanto a responsáveis, o maior é o Sr. Miguel Macedo conhecido bracarense e portista que trabalha de ministro da pasta.
    Eu que também sou bracarense e portista, lembro-me e lembro ao "imaginem" que já o ano passado nos apedrejaram o autocarro no regresso ao porto e também confirmo que a direcção do braga não disse nada.
    Por mim está na hora de acabar de vez com a oferta de mais Alans.
    Se querem crescer que cresçam mas connosco a dar o biberão já chega.

    ResponderEliminar
  3. Concordo com o "Imaginem" e acrescento, como pode o diretor de comunicação do SC Braga de seu nome Marco Aurélio Carvalho, sem qualquer informação detalhada sobre o que se tinha passado, nem qualquer relatório das entidades competentes, vir desde logo afirmar que não havia qualquer relação entre o ocorrido e os adeptos do FC Porto.

    ResponderEliminar
  4. A solução é não receber adeptos adversarios em jogos grandes. O estadio não oferece condiçoes de segurança.
    Pode-se tb alterar o estadio. Ficaria feio, mas seguro e confortavel. Se n se fizer isso o futebol ali vai acabar. As pessoas vão deixar de ir aos poucos. É estranho que as medias de asistencias descam à medida que o clube melhora os resultados.
    Para os adeptos adversario, ou proibe-se a entrada (e ganha-se dinheiro pois muitos braguistas que n vão aos jogos grandes por medo, passam a ir)ou cria-se uma jaula na bancada e tripicla-se a policia nas ruas.

    O conforto do estadio tb é do pior que pode haver. Subir um predio de 10 andares para ver um jogo de futebol n passa pela cabeça de ninguem.

    ResponderEliminar
  5. As situações de violência relacionadas com o futebol são cada vez mas recorrentes em Braga (com diversos clubes como adversário) e tentar atirar as culpas desta situação para a PSP, para os erros arquitectónicos do estádio ou então atirar as culpas só para o publico adversário, é tentar tapar o sol com uma peneira.
    Não sou adepto do braga nem do porto, mas o que se está a passar em Braga é o mesmo que se passa no Porto à muitos anos, em que um adversário é visto como um inimigo, e em que um simples cachecol na mão de uma criança ou de outra pessoa qualquer já é motivo de injuria e até violência física. Se calhar a PSP não era tão criticada se fizesse como faz no Porto em que só actua junto do público adversário, mas a PSP de Braga (e muito bem) faz o seu trabalho independentemente da a cor, quer seja branca, azul, verde ou vermelha.
    Em todos os estádios ou pelo menos à volta dos mesmos, o publico anda misturado e com excepção das claques poucos problemas se verificam, e temos os exemplos do SLB e do sporting em que nas bancadas vemos vários adeptos dos dois clubes sentados lado a lado, ou então temos o exemplo da final da taça de Portugal, infelizmente essa situação na se verifica no Porto e agora também acontece o mesmo na cidade de Braga, que por tradição da cidade e do clube recebia os adversários com respeito e desportivismo, havia uma ououtra picardia ou provocação mas isso fazia parte. Têm que ser tomadas medidas quer seja por via legislativa quer seja por parte dos próprios clubes, mas uma coisa é certa assobiar para o lado como a direcção do scb está a fazer não é a solução e só vai adiar o problema que se continua a agravar.

    PS. Uma pequena nota para os problemas de estacionamento do estádio, continuar a permitir o estacionamento em plena via rápida, é um acidente à espera de hora para acontecer.

    ResponderEliminar