quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Porto e Braga: o beijo da serpente

Diário do Minho, 26 de Março de 1935
Na sequência de notícias que davam como certa a definição da data das festas da cidade do Porto coincidindo com as "seculares e tradicionais" festas joaninas de Braga, a comissão organizadora dos festejos endereçou uma missiva à congénere portuense, tentando demover esta coincidência de datas, salvaguardando os interesses das duas cidades. Estávamos no ano de 1935 e muitos portuenses tinham o hábito de vir a Braga por altura do São João. Os do Porto disseram que "não" à tentativa conciliatória brácara.
Com a "invenção" das festas da cidade do Porto, cuja data se fez coincidir com o dia em que a Igreja festejava o São João, as festas de Braga foram perdendo a notoriedade que detinham. Inicialmente as festas portuenses nada tinham a ver com este santo, como podemos atestar nesta notícia, onde é transcrita a resposta do presidente da Câmara do Porto ao congénere de Braga. Segundo o autarca portuense a data da festa estava associada a uma festa tradicional do Porto intitulada "Palácio".
Trata-se de mais um episódio da macrocefalia portuense que, desde meados do século XVIII havia se sobreposto à histórica capital do Entre-Douro-e-Minho. No meio destas disputas Braga saiu quase sempre prejudicada. Quanto ao São João, como observamos acima, o Porto deu um beijo da serpente a Braga, garantindo que as suas festas nada tinham que ver com as nossas, desejanto até que as festas bracarenses "sejam cada vez mais brilhantes e prestigiosas". Certo é que as festas do Porto nascem apenas em 1935 e só mais tarde são associadas ao São João.
Hoje é este "São João" sem história ou tradição que as televisões querem filmar...

1 comentário:

  1. É preciso ter em conta que o 24 de Junho é feriado municipal no Porto desde 1911. E por referendo popular.
    E que, mesmo não tendo o carácter de citadinos ou concelhios, os festejos joaninos, lá, são seculares.
    Falta é saber que festa é essa, do "Palácio"...

    ResponderEliminar