sábado, 23 de fevereiro de 2013

Voltar a sorrir à custa de "nuestros hermanos"

Este é o jogo mais apetecido do ano para um braguista que se preze. Receber o velho rival, os "espanhóis", ainda por cima após mais de uma década de assinalável supremacia desportiva, abria o apetite para uma grande noite de futebol. O problema é que no banco ainda se senta um homem que acha que é treinador, embora esta palavra seja excessiva quando lhe é aplicada. Uma monumental assobiadela confirmou esta tendência quando o "speaker" citou a constituição das equipas.
Eis que começava o eterno derby minhoto. O maior clube do Minho, que esta semana atingiu a marca dos 30 mil sócios, recebia o Vitória de Guimarães com indisfarçável extroversão. Empurrou-os para o seu meio-campo, sem contudo criar qualquer situação de perigo iminente. Mas, eis que sobre o intervalo Éder deu uma cabeçada na crise e apontou o primeiro tento da partida.
A segunda parte começou com dois golos de rajada. Paulo Vinícius de canto e novamente Éder. O Braga vencia por 3-0 e, no banco de suplentes, alguém respirava de alívio.
O Braga dominava. O público saltava nas bancadas. Gritavam-se "olés"! O estádio Axa parecia ter voltado às grandes noites que povoaram o tempo de Domingos Paciência.
Quando tudo parecia resolvido e o Braga até ameaçava o quarto golo, duas vezes por João Pedro e uma vez por Éder, foram servidos dois golos na bandeja vimaranense. Resultado final 3-2 e um incompreensível aperto no final do jogo.
Para aqueles que pensavam que este resultado salvaria o trágico destino de José Peseiro em Braga, os minutos finais mostraram exactamente as fragilidades bracarenses. A culpa não é do infortúnio, nem da eficácia dos sucessivos adversários, nem propriamente dos jogadores, mas simplesmente de uma forma de jogar pouco hábil e inteligente, algo que costuma ser definido pelo responsável técnico de uma equipa...
Os bracarenses que se preparem, pois esta vai continuar a ser uma época de muito sofrimento. Quarta-feira há meia final da Taça da Liga, contra um clube de Lisboa!

Sem comentários:

Enviar um comentário