sexta-feira, 24 de maio de 2013

Manobras de diversão...

Se o cónego Melo fosse vivo repudiaria certamente a atitude destes supostos "amigos"
Um dos temas de destaque da reunião do executivo municipal de Braga realizada ontem foi a colocação da estátua ao cónego Melo. Esta proposta foi aprovada com votos favoráveis do PS e com a abstenção da coligação Juntos por Braga. Nesta sequência veio hoje publicada num órgão de comunicação social uma estranha "carta aberta", que supostamente pretende defender a homenagem, mas com tem um alvo bem mais declarado.
Aparece completamente despropositado esta espécie de anúncio de apoio à estátua - pelo menos é assim que se designa - e que se limita a atacar pessoalmente o candidato da coligação Juntos por Braga. Nem vale a pena dizer em que jornal foi publicado este "anúncio"...
Ora, esta atitude manifesta uma profunda ignorância sobre a personalidade do Monsenhor Eduardo Melo Peixoto, que seguramente repudiaria a atitude destes seus "amigos" anónimos, que tentam tirar dividendos políticos de uma abstenção mais que justificada quanto à colocação da estátua.
Trazer este tema à agenda política da reunião de Câmara ontem foi uma jogada de mestre para retirar mediatismo à expropriação dos prédios contíguos às Convertidas, que vão pagar a hipoteca à filha e genro de Mesquita Machado.
Isto, caros bracarenses, é política baixa, promovida por quem já percebeu que perdeu o pulso à cidade. Que o digam os estudos eleitorais que sucessivamente têm sido encomendados...

PS - O monsenhor Melo não merece "amigos" que utilizam o seu nome, e a polémica que gera, mesmo depois da sua morte, para abafar um assunto de que não interessa falar...

Sem comentários:

Enviar um comentário