terça-feira, 21 de maio de 2013

São João de Braga: acudam-lhe enquanto é tempo

Commercio do Minho, 16 de junho de 1896
Nos tempos em que as festas de São João eram o maior evento turístico da cidade, era grande a azáfama para arranjar hospedagem. Frequentes vezes a imprensa anunciava que os hóteis e pensões da cidade e Bom Jesus já estavam lotados e não se pense que eram poucos os estabelecimentos da pernoita em Braga. Por isso mesmo, esse momento do calendário era aproveitado por muitas familias para alugar quartos aos forasteiros desprevenidos.
Depois, por volta dos anos 30 do século XX, o Porto resolveu calendarizar as suas festas da cidade para a mesma época e Braga, naturalmente, ficou para trás no mediatismo que, até aí, lhe era favorável. O São João de Braga chegou a ser considerado o maior arraial do país, e não se pense que era lisonjeiro este título, já que lhe era atribuído pelo principal periódico português, "O Século".
Apesar das televisões e jornais continuarem a preferir falar do Porto na quadra sanjoanina e, até menosprezarem o que se passa em Braga, a capital do Minho tem toda a propriedade para ambicionar voltar a fazer das festas de São João o seu maior produto turístico. Tem história, tradição, cultura popular e um enorme vector de identidade.
Agora é saber promovê-lo e valorizá-lo! Temos tudo para ficar a ganhar! Se os bracarenses se unirem em torno das suas festas da cidade, a afirmação - ou melhor, a reafirmação - estará para breve.
E que tal candidatar o São João a Património Imaterial da Humanidade? Afinal é muito mais original do que a própria Semana Santa, que já manifestou a pretensão, e é muito mais igual ao que se faz em outras zonas de Portugal e do mundo...

Sem comentários:

Enviar um comentário