sexta-feira, 7 de junho de 2013

A Esquerda que faz o jogo de Mesquita

Mesquita Machado, histórico presidente da Câmara de Braga, apesar dos defeitos que lhe são apontados, tem muitas qualidades, uma delas a forma hábil como manobra as oposições mais frágeis.
Na sequência do polémico processo de erecção da estátua ao Monsenhor Melo, lançado precisamente no dia em que voltava à reunião de Câmara a não menos polémica expropriação dos imóveis ao lado das Convertidas, sobre os quais recai uma hipoteca da filha e genro do presidente da Câmara, os partidos mais à esquerda têm-se digladiado por aquela "afronta" para a democracia...
Ora, para mim, afronta à democracia foi o que alguns sectores conotados com o partido comunista fizeram em 1975, em que se assistiu a uma tentativa de apropriação do poder e uma quase guerra civil. O motivo? Não aceitar os legítimos resultados eleitorais e a opinião dominante do povo português. Não fora a intervenção de Mário Soares em conjunto com a Igreja e o desenrolar pós-revolucionário poderia ter sido dramático. Quanto ao Monsenhor Melo, admito que nem tudo tenha sido perfeito na sua conduta, mas sou mau juiz para o avaliar. Pessoalmente só tenho aspectos positivos a salientar, mas não posso falar pelo seu passado anterior.
Considero inoportuna a colocação da estátua nesta altura - até porque vem apenas para desviar atenções de outro tema - mas não entendo esta espécie de histeria colectiva que provoca em certos sectores da política bracarense.
Seja o histerismo dissecado aos microfones de um programa da RUM, seja pela contra-manifestação promovida no local onde vai ser colocada a estátua, não entendo esta forma de fazer política. Não valeria a pena falar um pouco mais sobre o que se passa ao lado das Convertidas? Chamar à atenção para uma AGERE que, apesar dos lucros milionários, aumenta a factura aos bracarenses? Ou então verificar as irregularidades na colocação dos novos parcómetros? Ou ainda comentar os sucessivos atrasos de obras municipais que vão estar prontinhas a tempo das eleições?

Esta é a melhor amostra da oposição que permitiu a Mesquita Machado permanecer tanto tempo no poder. Pelo que se ouve dos partidos mais à esquerda do PS em Braga, há uma evidente preferência para que o município continue socialista em detrimento de novos protagonistas dos partidos à direita.
Não entendo...

1 comentário: