sexta-feira, 19 de julho de 2013

Cultura, Património e Turismo?


O teatro romano e a ínsula das Carvalheiras continuam a aguardar que se cumpram as promessas
Continuamos a analisar o programa eleitoral sufragado pela maioria dos bracarenses nas autárquicas realizadas em 2009. Porque é por aqui que começa a reflexão sobre em que candidatura depositar o nosso voto...

CULTURA, PATRIMÓNIO E TURISMO 
(Executado/ Não Executado/ Desconhecido) 
  • Repensar a cidade na sua diversidade cultural nesta era da globalização;(Alguém entende o que isto quer dizer?)
  • Potenciar a identidade cultural de Braga, valorizando as matrizes que enformam a sua afirmação histórica de dois mil anos de existência; 
  • Promover, em parceria com as unidades académicas locais, a investigação da história local, designadamente a atinente às raízes romanas e barrocas da cidade, assim pondo a descoberto património já referenciado;
  • Musealizar as ruínas romanas das Carvalheiras;
  • Assumir as necessárias condições para a realização do estudo, salvaguarda e musealização dos vestígios arqueológicos do Teatro Romano, de acordo com o programa que venha a ser definido pela Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho, num processo idêntico ao adoptado nas Termas da Cividade;
  • Diligenciar a constituição de um Parque Arqueológico e Cultural de Braga, que integre um conjunto de valores patrimoniais, arqueológicos e históricos em colaboração com a Unidade de Arqueologia da Universidade do Minho;
  • Instalar no edifício da antiga Estação de Caminhos-de-Ferro diversos agentes culturais de reconhecida intervenção nas áreas do teatro, artes plásticas e música;
  • Promover a exibição cinematográfica regular no Theatro Circo, retomando assim uma valência antiga deste espaço;
  • Promover o êxito da Escola de Música do Mercado Cultural do Carandá, em fase de conclusão;
  • Dinamizar a actividade cultural dos espaços públicos ao ar-livre, bem como dos vários equipamentos municipais, com especial destaque para o Theatro Circo, promovendo uma programação eclética que garanta a sua máxima ocupação; (melhorou efetivamente!)
  • Aproveitar o “novo” património para a instalação de unidades culturais que complementem o circuito histórico já disponível, sempre com o propósito de exibir ao público um património com vida, capaz de motivar o respeito e afecto dos seus usufrutuários;
  • Potenciar eventos culturais que são já “bandeiras” da actividade cultural bracarense, que aproximam os cidadãos do património local e reforçam a sua identidade, como é o caso do “Braga Romana”, “Mimarte - Festival de Teatro de Braga” e do Bragajazz” ;(A Braga Romana afirmou-se como um dos maiores eventos da cidade)
  • Impulsionar a cooperação cultural com entidades regionais, nomeadamente no âmbito do Quadrilátero Urbano, propondo a co-produção de conteúdos de mútuo interesse e a sua promoção conjunta, de que resultará maior público-alvo;
  • Constituir uma carta do património, segmentada por áreas de interesse (religioso, ambiental, patrimonial, etc.), em parceria com os diversos agentes turísticos locais, promovendo as suas potencialidades no âmbito da Entidade de Turismo do Porto/Norte;
  • Diversificar e melhorar a divulgação turística da cidade;
  • Aproveitar parcerias publico-privadas que permitam maior transversalidade às políticas de desenvolvimento turístico do concelho;
  • Potenciar a intervenção do Município como agente dinamizador dos grandes eventos turísticos, concretamente no quadro da divulgação dos nossos usos e costumes regionais, de que são exemplo a “Semana Santa” e o “São João de Braga”;(Que se saiba, o peso da autarquia na organização mantém igual a 2009...)
  • Reforçar a imagem de Braga como uma cidade de congressos, dinamizando as estruturas municipais, em parceria com os demais agentes públicos e privados; 
7 EXECUTADOS
5 NÃO EXECUTADOS
6 DESCONHECIDOS

Sem comentários:

Enviar um comentário