segunda-feira, 22 de julho de 2013

Falperra: o monumento de Braga

A igreja da Falperra impressiona pela originalidade
No dia em que a Igreja recorda Maria Madalena, é oportuno salientar um dos principais monumentos barrocos de Braga. A Capela de Santa Maria Madalena da Falperra, saída das mãos do grande André Soares na década de 50 do século XVIII, é um dos monumentos barrocos mais relevantes do concelho de Braga.
Apesar das polémicas sobre se a linha de fronteira entre Braga e Guimarães passa atrás da sacristia ou em frente da fachada, a verdade é que foi erigida voltada à cidade dos arcebispos e a expensas dos fiéis bracarenses. Mais bracarense é difícil, mesmo que nos anos 60 alguém se tenha lembrado de desenhar a linha da carta militar um pouco mais à frente do que duas décadas antes...
A fachada marca pela originalidade dos traços, as duas 'falsas' torres, o janelão central e o seu enquadramento no retábulo de pedra desenhado pelo arquitecto do Minho. A planta é inusitada e não se sabe muito bem a quem atribuir a sua autoria.
O traçado rococó continua no interior, onde se podem admirar três retábulos, também de André Soares, que completam com sublimidade o percurso iniciado no exterior. Saliente-se a imagem de Cristo na cruz, que preenche o retábulo-mor, encomenda do início do século XX, ao grandioso escultor bracarense João Evangelista Vieira, e que inspirou o escritor lisboeta Antero de Figueiredo numa das suas grandes obras "O último olhar de Jesus".  Para crentes ou não-crentes, vale a pena admirar!

2 comentários:

  1. Não entendo como o conselho de guimarães se estende praticamente até ao centro de braga.

    ResponderEliminar
  2. Gosto muito desta igreja e nunca suspeitei que não fosse no concelho. Casei nela e nela batizei uma filha, sei, por isso, que pertence a uma paróquia de Guimarães. Honestamente não percebo o que se ganha com estas polémicas.

    ResponderEliminar