segunda-feira, 12 de agosto de 2013

O primitivo retábulo-mor de Tibães

O mosteiro de S. Martinho de Mire de Tibães, um dos maiores orgulhos patrimoniais de Braga, tem uma vasta história, sendo a sua fundação anterior à própria nacionalidade.
Entre as diversas fases construtivas que atravessou, a que deixou as marcas mais vincadas coincidiu com os trabalhos de André Soares e do seu discípulo Frei José Vilaça na igreja monacal. O retábulo-mor que hoje se observa, obra prima do rococó soaresco, no qual trabalharam aqueles dois mestres, veio substituir um retábulo maneirista do século XVII que não foi sacrificado às novas modas da arquitectura. Os monges de Tibães assentiram que o mesmo retábulo fosse transportado para um outro mosteiro beneditino localizado em S. Romão do Neiva, Viana do Castelo.
Quem hoje quiser apreciar o primitivo retábulo de Tibães pode ir a este mosteiro vianense e vislumbrar um pouco da arte sacra tibanense antecessora do rococó de André Soares e Frei José Vilaça.
Um pedaço de Braga exposto em terra minhota!

Sem comentários:

Enviar um comentário