domingo, 8 de setembro de 2013

Desvalorizar Braga: espaços verdes e de lazer

Muitas foram as promessas de parques e espaços de lazer ao longo de 37 anos...
Há 37 anos que Braga é governada por executivos socialistas, sempre liderada por Mesquita Machado (com uma célebre interrupção...). Ao longo de todo este tempo, os bracarenses viram a sua cidade crescer urbanisticamente e ser dotada com um parque habitacional invejável. Porém, a cidade continuou a viver à sombra do parque da Ponte, inaugurado em 1922, e dos espaços disponibilizados pelas instituições da Igreja como o Sameiro e o Bom Jesus, entre outros. Algumas anotações interessantes em algumas urbanizações, como foi o caso da quinta de Sotto Mayor, e pouco mais.
Ao longo de todos estes anos não faltaram promessas verdes a iludir os bracarenses urbanos:

  • Em 1982 o parque do monte Picoto,  que vai ficar prontinho "in extremis" antes de terminar o mandato;
  • Em 1997 iria ser construído o "novo Bom Jesus do Monte", que seria o parque urbano da zona Norte, do qual apenas foi construído um estádio e umas piscinas em potência;
  • Em 2008 foi o parque das Sete Fontes, não sem que se tentasse fazer passar uma via rápida que iria dizimar todo o local;
  • Em 2008 até o pequeno recinto de Guadalupe iria ser recuperado a expensas da zelosa autarquia...
  • Em 2013 (finalmente!) vai ficar pronta a regeneração das margens do rio Este, depois de anos de abandono e de uma permissividade abusiva quanto à construção junto das mesmas margens.
A estratégia é simples: promete-se em períodos pré-eleitorais e depois espera-se que as pessoas iludidas se esqueçam do prometido. Se eu fosse presidente da Câmara durante 37 anos teria vergonha de um legado verde deste calibre.

Sem comentários:

Enviar um comentário