segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Detalhes sobre o descalabro arsenalista

Jesualdo terá que rectificar alguns aspectos se quiser manter o Braga no rumo do sucesso
A família dos verdadeiros bracarenses está em sobressalto. Depois de uma pré-época prometedora, em que a equipa defrontou equipas de elevada craveira e não somou qualquer derrota, chegaram resultados preocupantes, um deles que atirou o Sporting de Braga prematuramente para fora da Europa. Duas derrotas seguidas, mas um pesadelo que começou há precisamente uma semana frente ao Belenenses. Num jogo em que o Braga poderia perfeitamente ter goleado, os jogadores foram displicentes e relaxaram. Nisto quase se perderam dois pontos.
Dias depois, frente aos romenos do Pandurii e trazendo uma vantagem de um golo da Roménia, os arsenalistas voltaram a vacilar. Novamente vestidos de azul, os adversários jogaram sempre atrás da linha da bola, como haviam feito os de Belém, e a estratégia resultou!
É verdade que entre o Braga que defrontou o modesto Pandurii e a equipa que, um ano antes, havia defrontado os seus compatriotas do Cluj, se denotam muitas mudanças. Na derrota inaugural da última edição da Liga dos Campeões, os jogadores simplesmente abdicaram de jogar obedecendo a uma táctica suicida e inconsequente do anterior timoneiro. Na quinta-feira, frente ao Pandurii, a equipa jogou e criou incontáveis situações de golo. Falhou na eficácia atacante (valha-nos Éder!), dando razão ao anseio de Salvador de contar com mais um ponta de lança de alta voltagem e falhou a defesa, atestando que alguns dos habituais titulares de Jesualdo não têm nível competitivo para integrar o plantel do Sporting de Braga. De que jogadores falo? Nuno André Coelho, Ruben Micael e o mais escandaloso Joãozinho... Há opções que não se entendem.
Para aqueles que pensavam que após a saída de Elderson, a asa esquerda da defesa ficaria mais forte, desenganem-se. Conseguiram trazer um ainda pior... Sobra Florent, que fez um final de época interessante no Moreirense.
Quanto ao jogo de ontem torna-se exercício surrealista qualquer análise. O Sporting de Braga dominou toda a primeira parte e coleccionou oportunidades para inaugurar o marcador. Depois de ter ficado em superioridade numérica, onze contra nove no espaço de apenas cinco minutos, a equipa deslumbrou-se e praticamente não voltou a jogar futebol. Para piorar o cenário, Nuno André Coelho ofereceu um golo inacreditável ao Gil Vicente.
É verdade que a equipa procurou a vitória, mas uma vez mais se revelou desastrada a aposta em alguns jogadores que nada acrescentam à eficácia e concentração da equipa. Podemos queixar-nos da sorte, é verdade, mas também da falta de qualidade de alguns jogadores. Comparara a atitude colectiva de Mossoró com o individualista e problemático Micael é uma anedota...
Por tudo isto, terão os arsenalistas que ficar preocupados com a época que se inicia? Pessoalmente, penso que não. A equipa e o nosso treinador já mostraram que têm potencial e vão surpreender os benfiquistas, portistas e sportinguistas que têm deixado mensagens subliminares nos periódicos e televisão dizendo que o maior clube do Minho está fora da luta. Isso queriam eles!
Não estamos e vamos prová-lo em campo, desde que o treinador e jogadores escutem o aviso deixado ontem pelos sócios mais descontentes.
Não critico aqueles que se manifestaram ontem à noite no AXA. Não fossem esses e talvez o presidente, o treinador e os jogadores pensassem que está tudo bem. E não está!
Por vezes é preciso agitar as águas para que o rendimento apareça...
Continuamos na luta, não passivos, mas sempre em busca do sucesso! Força Braga!

Sem comentários:

Enviar um comentário