quinta-feira, 3 de outubro de 2013

O rio...do Picoto

As lamas são uma constante dos moradores da rua da Devesa e Santo Adrião

O Picoto, para já, é apenas um conjunto de arruamentos...
O parque urbano do Picoto, que ainda é apenas um circuito de caminhos inaugurados antes de se poder chamar de parque, vai ser uma mais valia para os bracarenses. É certo que era escusado rasgar o monte daquela maneira para construir os acessos. Era também escusado fazê-lo, pois foi aberta uma autoestrada para as águas que, nos dias de chuva, escorrem monte abaixo, quando antes se infiltravam no solo a partir da vegetação existente.
Uma verdade lapaliciana que nem todos perceberam. Pelos vistos, os quadros técnicos que elaboraram e executaram a primeira fase do parque urbano do Picoto não perceberam que o escoamento das águas passou a ser um problema depois das obras. É que uma montanha que tem capacidade para drenar as águas das chuvas, quando vê a sua fisionomia alterada pode perder parcialmente essa capacidade.
Depois das inundações sucedidas durante as obras, seria de esperar que a Câmara Municipal de Braga se preocupasse com os moradores das ruas de Santo Adrião e da Devesa que se veem agora afectados por grandes quantidades de água e de lama sempre que a chuva integra a situação metereológica de Braga. Nada se fez e, portanto, há um novo rio a nascer a partir do monte Picoto, cujo leito é a superfície da rua e as margens a porta de casa dos moradores.

Esperemos que este assunto mereça a atenção dos ainda responsáveis da autarquia, antes que outras avalanches de pior dimensão possam afectar os moradores desta zona da cidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário