sábado, 19 de outubro de 2013

S. Frutuoso: o monge virtuoso partido em 3!

Imagem de S. Frutuoso na fachada da Sé de Braga
Hoje a Igreja Católica em Braga recorda uma das grandes personalidades da Alta Idade Média na nossa cidade e região: São Frutuoso, mais conhecido devido ao importante monumento de Montélios, cuja averiguação artística e histórica continua a suscitar mistérios.
A festa litúrgica de S. Frutuoso assinala-se, na Arquidiocese de Braga, no dia 19 de outubro, sendo declarado padroeiro secundário do mesmo território eclesiastico. Bispo de Braga entre os anos 656 e 665 da era cristã, terá nascido na diocese de Astorga, no norte de Espanha, na região de Bierzo. Estudou na Escola da Catedral de Palência, onde adquiriu formação vasta em liturgia e humanidades. Depois de um tempo de peregrinação e recolhimento São Frutuoso terá fundado inúmeros mosteiros por toda a Galiza, vindo parar ao cenóbio de Dume em 653, do qual foi bispo, ascendendo daí à prelatura bracarense três anos depois, lugar que ocupou até à sua morte em 665.
Sabemos que se dedicou à fundação de cenóbios em todo o território da primitiva província eclesiástica de Braga. A sua biografia, escrita por S. Valério, para além de louvar as suas virtudes humanas, outorga-lhe a fama de instrutor do povo humilde e rude. Fundou um mosteiro em Montélios (Braga), junto do qual construiu uma capela para sua sepultura, que ainda hoje se constitui como um mistério para os investigadores. Na biografia elaborada por S. Valério, escrita por volta de 680 e portanto digna de credibilidade (dada a proximidade temporal com S.Frutuoso), é referido que «numa pequena eminência, entre a cidade de Braga e a póvoa de Dume, (São Frutuoso) erigiu um mosteiro de grande nomeada, onde foi inumado o seu santo corpo».
No ano de 1102, quando o ardiloso arcebispo de Compostela, Diego Gelmirez, protagonizou o episódio que ficou para a história como o Pio Latrocínio, no qual roubou as relíquias dos santos mais venerados de Braga, estava entre eles S. Frutuoso. Foi certamente a este lugar de Montélios que se dirigiu para orquestrar o seu «acto mau e indigno», tal como o catalogou o Arcebispo São Geraldo, surpreendido pelo seu congénere galego. Parcialmente devolvidas em 1966, as suas relíquias estão hoje divididas em três partes: igreja de S. Francisco (Real), Sé Primaz, e Compostela.
A devoção a S. Frutuoso estava, no passado, vinculada ao culto da fertilidade, particularmente enraizada nos agricultores que, todos os anos recorriam à intercessão do santo bispo bracarense.

Sem comentários:

Enviar um comentário